MENU
enchimento_areias_costa da caparica

Enchimento de areias concluído mas concessionários não descansam

22 Agosto, 2014 • Humberto Lameiras • Destaque, Sociedade

Share Button

A operação de reposição artificial de areias nas praias da Frente Urbana da Costa da Caparica terminou na passada quarta-feira, mas os proprietários dos concessionários não estão descansados. Falam em marés que voltaram a galgar a praia até paredão e receiam que as inundações do último inverno se repitam. Para a Câmara de Almada a defesa da costa atlântica do concelho não pode ser dada por terminada e afirma que é necessário “prosseguirem as intervenções de reparação e consolidação de estruturas costeiras, designadamente no paredão, esporões e cordão dunar”.

Na intervenção que começou a 27 de julho foi depositado um milhão de metros cúbicos de areia ao longo de quatro quilómetros de frente de praias. Uma recarga idêntica às que foram feitas em anos anteriores e que não evitaram o caos que se viveu este ano com o mar a saltar o paredão destruir concessionários e inundar parques de estacionamento. Dai que alguns concessionários tenham afirmado à Lusa o receio de verem repetir-se o mesmo cenário no próximo inverno.

Outra das interrogações dos concessionários foi a altura escolhida para a execução desta última obra que, ao apanhar quase todo o pico do verão, lhes causou um prejuízo acrescido por as praias, conforme a evolução dos trabalhos, ficarem interditas a banhistas. E nem mesmo o facto da intervenção ter ficado concluída mais cedo do que o previsto, lhes apazigua as contas.

Perante o receio e queixas dos concessionários, o secretário de Estado do Ambiente, Paulo Lemos, já veio afirmar que o volume de areias depositado nesta intervenção foi aquele que os técnicos “consideraram adequado”, e que “não está prevista uma segunda fase”. E acrescenta: “A praia está muito mais resiliente no caso de haver um inverno mais rigoroso. Acreditamos que esta obra é a adequada para o momento em que foi feita”.

Quanto à época de execução da obra, Paulo Lemos sublinha que “não há nenhum técnico que aconselhe que a obra seja feita no inverno. As reposições de areias na Caparica foram sempre feitas no verão, porque não há garantias que o mar estará em condições. Mesmo no verão tivemos de interromper porque as condições do mar não permitiam a reposição das areias”.

Entretanto, segundo informação da Câmara de Almada, toda a frente de praia intervencionada – a última foi S. João – fica aberta a banhistas, concessionários e apoios de praia “até ao próximo domingo”.

Mas, apesar de saudar “vivamente” a conclusão desta intervenção, alerta as entidades com jurisdição na área da Costa da Caparica, nomeadamente o Ministério do Ambiente, que há mais trabalhos para fazer neste território.

Para além da consolidação de estruturas costeiras, a autarquia afirma que é indispensável “corrigir intervenções realizadas no âmbito do Programa Polis de modo a adequar as mesmas às reais necessidades das populações”. A isto acresce a necessidade de “concluir o Plano de Desenvolvimento Estratégico da Costa da Caparica e os respetivos instrumentos de gestão do território, essenciais à modernização e melhoria da qualidade de vida dos caparicanos e de todos quantos usufruem da qualidade oferecida por esta área privilegiada o território de Almada e de toda a Área Metropolitana de Lisboa”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

« »