MENU
Share Button

Apesar das vozes discordantes dos partidos da oposição, quer em Almada que na Assembleia da República, o Governo PSD/CDS-PP liderado por Passos Coelho desde 2011, ano em que iniciou funções depois dos desgovernos do Partido Socialista (do agora indiciado em vários crimes o detido e recluso na penitenciária de Évora, José Sócrates), tem investido, e muito, na área da Saúde em Portugal.

Importa salientar, em primeiro lugar, que a pouco menos de um ano de eleições legislativas os portugueses devem saber fazer as suas escolhas naqueles que, com espírito patriótico, com abnegação, com empenho e rigor, conseguiram colocar Portugal no caminho para da prosperidade, do desenvolvimento e da retoma económica tão importante para a criação de emprego e desafogar a carga fiscal das famílias aumentando o seu acesso a bens e serviços e a sua qualidade de vida.

Não devem os portugueses daqui a uns meses esquecer que o actual Secretário-Geral do Partido Socialista era o braço direito dos (des)governos de José Sócrates, sento tão responsável como este último pelo endividamento do país, pela perda de soberania, pelo descalabro das contas públicas, pelo esbanjamento de dinheiros públicos sem critérios objectivos de um ministro, entre outros, que dá pelo nome de Mário Lino, aliás, o mesmo que proferiu palavras e insinuações insultuosas aos moradores da Margem Sul do Tejo onde se incluem os almadenses.

É pois contra a possibilidade do retornar dos mesmos que desgraçaram o país que os portugueses devem ter uma palavra a dizer e premiar e reconhecer as melhorias e, sobretudo, a saída da Troika que impunha mês a mês, semana a semana, dia a dia, sacrifícios ao portugueses e que este governo PSD/CDS-PP habilmente soube mandar embora.

Exemplo dessa confiança está justificada também na Saúde, embora alguns tentem explorar o alarmismo, confundir as pessoas usando mesmo o infortúnio de alguns, e explorar as dificuldades cegos e sedentos de poder.

Desde 2011, só para deixar alguns exemplos, o Governo injectou como nunca investimento no sector afrontando mesmo a Troika quando cortou em Saúde muito menos do que esta exigia.

Primeiro que tudo, devemos ter a humildade de reconhecer, até porque se assim não fosse estaríamos a ser igual ou piores do que aqueles que criticamos, que o cenário na Saúde tem de melhorar e que há ainda muito por fazer. Mas há, houve e sempre haverá tendo em conta as inúmeras condicionantes que este sector abrange carências pelo simples facto dos recursos serem limitados.

Posto este reconhecimento, não queremos deixar de apontar para que as pessoas possam ter a consciência e reconhecer o enorme investimento que o Governo PSD/CDS-PP fez na Saúde desde que está em funções.

A saber:

– Menos cortes do que a Troika exigia;

– Auditoria Externa às Instituições;

– Concursos para médicos especialistas;

– Mais médicos contratados no Serviço Nacional Saúde (SNS);

– Mais enfermeiros;

– Actualização das listas de utentes;

– Abertura de vagas para internatos médicos;

– Isenção de Taxa Moderadora para desempregados;

– Inventário dos Médicos do SNS;

– Redução da Taxa de Mortalidade Infantil;

– Vacinação Gratuita para Idoso (Gripe);

– Linha Saúde 24 destinada a Idosos;

– Prescrição Electrónica do Medicamento;

– Incentivo à interioridade;

– (Recente) Isenção de Taxas Moderadores aos menores de 18 anos.

já para não falarmos que a OCDE subiu a posição de Portugal para o 3º lugar no Ranking dos países desenvolvidos com melhor acesso e cuidados de Saúde.

Se isto não é investir na Saúde então é o quê?

Não podemos deixar de reconhecer o empenho e dedicação que tem sido feito pela Unidade de Saúde Pública de Almada/Seixal num excelente trabalho de prevenção ao serviço das populações e que o CDS-PP Almada subscreve.

 

António Pedro Maco

Deputado Municipal e Presidente CDS-PP Almada 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

« »