MENU
Os deputados socialistas têm por objectivo aferir a real situação desta unidade que serve as populações dos concelhos de Almada, Seixal e Sesimbra

Hospital de Almada recebe aumento de capital social

6 Janeiro, 2015 • Redação • Destaque, Sociedade

Share Button

O Hospital Garcia de Orta inicia o ano de 2015 com “fundos próprios tendencialmente nulos ou mesmo positivos”, resultante do “aumentado do capital social em 28,5 milhões de euros”, avança fonte da unidade hospitalar de Almada, com base nas contas referente ao exercício do ano passado.

Em 2014 foram concretizados “dois aumentos de capital”, sendo que, numa primeira fase, “43,9 milhões de euros” fora direcionados para a “regularização de passivos para com Fundo de Apoio ao Sistema de Pagamentos do SNS”, ao mesmo tempo que foram “perdoados” os juros vencidos e não pagos relativos aos empréstimos concedidos pelo mesmo Fundo ao Hospital. Um total que perfaz um montante de “72,4 milhões de euros”.

Acrescenta a mesma fonte que “apesar das medidas levadas a cabo pela administração no sentido de melhorar a acessibilidade, aumentar a eficiência e a sustentabilidade, dos esforços para a redução dos custos operacionais e aumentar as taxas de cobrança, em particular, nos últimos quatro anos, e ainda do plano estratégico do Estado que disponibilizou verbas para pagamento de dívidas a fornecedores do SNS, os sucessivos resultados líquidos negativos nos últimos oito anos não permitiram alcançar a necessária sustentabilidade financeira e sair da falência técnica em que o hospital se encontrava”.

Este aumento de capital do Hospital Garcia de Orta irá “permitir o aumento dos fundos próprios, a redução do passivo, e o pagamento de dívidas vencidas e contraídas até 30 de setembro de 2014”.

A administração espera ainda alcançar uma “maior capacidade de negociação junto dos fornecedores e o reforço das medidas que impeçam a acumulação de novos pagamentos em atraso, bem como, com os recursos disponíveis, sem perda de qualidade, salvaguardando os atuais níveis de acesso e eficiência, continuar a responder às necessidades de saúde das populações, ao nível da prestação de cuidados”, acrescenta em nota informativa.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

« »