MENU
Share Button

Desde há uns tempos a esta parte somos brindados na rotunda do Centro Sul com uma estrutura de comunicação formal da Câmara Municipal de Almada, que em vez de mostrar informação institucional ou divulgar alguns dos excelentes cartões de visita da nossa terra, mostra isso sim palavras de ordem e campanhas de contestação que a Autarquia entende ser motivo para gastar muitos milhares de euros pagos por todos nós.

O Executivo Comunista fez isto de forma casual e pontual? Se já de si seria condenável se assim fosse, a questão é mesmo estrutural, pois têm sido um sem número de vezes  utilizadas verbas públicas para promover campanhas políticas.

Recordo-me, por exemplo, de ter denunciado publicamente e junto das entidades competente, um folheto da Festa do Avante, onde aparecia publicidade paga das empresas municipais ECALMA e SMAS de Almada. Despesa que, no meu entender, é ilegal, imoral e mostra onde, aí sim, se “desvia” verbas que deviam ser utilizadas para o serviço público.

Mas também me recordo, já este ano, ter detectado que a própria Câmara de Almada reconhecia ter tido um stand de divulgação na referida Festa do PCP. Alguém usando de bom senso pode aceitar que se utilizem verbas públicas para colocar um stand institucional numa festa partidária? Alguém pode dar credibilidade a um partido que tantos ataques faz a terceiros sobre estas matérias, mas que depois faz na prática o que critica nas palavras?

Realmente, o PCP e os seus autarcas mostram ter pés de barro, e derrapam pela falta de coerência, pela ausência de pudor, a que se pode acrescentar a falta de honestidade argumentativa.

INFAME CMASenão vejamos este último cartaz do chamado “InFAMe”. Vem este a propósito do Fundo de Apoio Municipal, uma medida do actual governo que visa criar um mecanismo de apoio mútuo, solidário e onde se procura criar uma resposta rápida e eficaz para auxiliar autarquias que apresentem problemas de endividamento e liquidez.

Para a Câmara de Almada trata-se de um roubo à Autarquia. Porque é que é uma mentira, uma mensagem populista e uma prova de má fé?

É mentira porque este Fundo é constituído pelo Estado Central em conjunto com todas as Autarquias, de forma a criar um mecanismo que possa responder a situações dificeis e que evite, no futuro, sejam os contribuintes a pagar erros grosseiros de gestão.

Mas também é uma mensagem populista pois o próprio PCP defendeu a criação de um fundo desta natureza para o sector bancário por forma a evitar que o Estado tivesse que acudir a problemas nos bancos. O Fundo de Apoio Municipal está para as Autarquias como o Fundo de Resolução Bancário está para os bancos. O que era defendido pelo PCP para uns não é válido para os outros porquê? Incoerência argumentativa pode ajudar a fazer cartazes com o dinheiro de todos os Almadenses, mas não torna verdade o que é mentira…

Para os actuais responsáveis camarários volto a lançar o desafio. Digam pública e formalmente em que normativo legal encontram suporte para as decisões políticas que tomaram quanto a estas campanhas, à publicidade institucional e stand promocional numa festa partidária?

Aos Almadenses lanço um desafio. Querem continuar a assistir a este desrespeito pelo dinheiro que é de todos nós e que é gasto apenas para fazer política onde deveria haver acção autárquica para resolver os nossos problemas? Querem fazer de conta que este poder absoluto não tem forma de ser combatido e vencido? Querem desistir de mudar este estado de despudor?

Eu estou aqui a mostrar que não me calo. Em todos os fóruns em que intervenho tenho denunciado esta maneira de fazer política. Enquanto cidadão choca-me, enquanto político repugna-me que ainda se aja desta forma impune. Enquanto Almadense eu pergunto-me- quem é que tem a coragem de se juntar a mim e a outros que não se conformam e querem acabar com esta infâmia?

 

Nuno Matias

Deputado à Assembleia da República e Deputado Municipal do PSD

 

Foto:DR

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

« »