MENU
Maria Luís Albuquerque esteve na Costa da Caparica onde ouviu as preocupações de representantes dos concessionários e pescadores

PSD visita Costa e ouve queixas sobre reposição de areias

10 Junho, 2016 • Redação • Destaque, Política

Share Button

Maria Luís Albuquerque esteve na Costa da Caparica onde ouviu as preocupações de representantes dos concessionários e pescadores. A questão sobre a reposição de areias nas praias foi um dos assuntos apresentados à deputada e ex-ministra das Finanças do governo PSD/CDS.

Com a época balnear no início, refere o PSD que “a reposição de areia nas praias da Costa de Caparica, da responsabilidade do Governo, cuja última operação teve lugar em 2014 e que estava prevista realizar-se novamente em 2016, ainda não aconteceu”.

Acompanhada por dirigentes do PSD de Almada e eleitos locais do partido, Maria Luís Albuquerque ouviu ainda a preocupação da Associação dos Apoios de Praia da Frente Urbana da Costa de Caparica – que reúne 22 concessionários – relativamente “à dificuldade de estacionamento no período de Verão, a par dos elevados preços praticados, uma situação que afecta os veraneantes mas que também condiciona o estacionamento dos residentes”.

Outro dos assuntos focados pela associação de concessionários foi o desejo de ver “concretizados os planos aprovados no CostaPolis, por exemplo, no que se refere às unidades hoteleiras que não passaram do papel, o mesmo sucedendo com a requalificação do Campo da Bola e a transferência dos parques de campismo, estruturas totalmente desqualificadas e que bloqueiam o acesso às praias”, cita o PSD em nota de imprensa.

Relativamente aos pescadores, em concreto os que se dedicam à Arte Xávega, a deputada social-democrata encontrou-se com a associação ALA-ALA, cujos associados “enfrentam vários obstáculos ao desempenho de uma actividade muito relevante do ponto de vista económico, social, cultural e turístico”.

Os pescadores apontaram questões como a “falta de espaço para arrumos, deficientes instalações sanitárias, necessidade de mais rampas para acesso à praia e criação de corredores para acesso ao mar, custos das inspecções obrigatórias e os limites da zona de pesca”.

A comitiva social-democrata seguiu depois para uma visita ao colégio Campo de Flores, onde se inteirou do trabalho desta instituição criada em 1967 e pioneira em várias áreas do ensino, onde estudam cerca de 1.100 crianças e jovens do pré-escolar ao secundário.

Foto: DR

Artigos Relacionados

Deixar uma resposta

« »