MENU
Amarsul

Trabalhadores da Amarsul avançam para greve

28 Abril, 2014 • Redação • Destaque, Sociedade

Share Button

Os trabalhadores da Amarsul estão contra a privatização da empresa e, em sinal de protesto, vão cumprir dois dias de greve de 24 horas a 30 de abril e 2 de maio, avança a União de Sindicatos de Setúbal.

Constituída em 1997, a empresa responsável pela exploração e gestão do Sistema Multimunicipal de Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos da Margem Sul do Tejo, durante 25 anos, tem 51 por cento do capital social pertencente à Empresa Geral de Fomento (EGF), e 49 por cento nas mãos dos municípios inseridos na sua área de atuação: Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

Segundo fonte sindical, a privatização da Amarsul/EGF vai implicar uma “diminuição de 3,5 milhões de euros nos cofres do Estado”, passando as populações a “pagarem mais pelo tratamento dos resíduos sólidos urbanos, taxa que vem habitualmente incluída na fatura da água”  

“Com a privatização da Amarsul/EGF, para além dos 3,5 milhões de euros que deixam de entrar nos cofres do Estado, serão as populações que passam a pagar mais pelo tratamento dos resíduos sólidos urbanos, taxa esta que vem habitualmente incluída na fatura da água”, refere a união sindical.

Na perspetiva sindical, o negócio que está a ser colocado em cima da mesa é para que o “grandes grupos económicos e financeiros” beneficiem da privatização, considerando que “compram por tostões, obtendo um negócio de milhões”.

Entretanto, no passado 11 de abril, os municípios da península acionistas da AMARSUL manifestaram-se contra a privatização desta empresa pública de gestão de resíduos e decidiram avançar com providências cautelares para travar o processo, já promulgado pelo Presidente da República.

“O tratamento de resíduos é um serviço público e não um negócio. Vamos recorrer à via judicial para defender os interesses os municípios e dos cidadãos, através de providências cautelares”, afirmou na altura Rui Garcia, presidente do Conselho Diretivo da Associação de Municípios da Região de Setúbal (AMRS).

Artigos Relacionados

Uma resposta a Trabalhadores da Amarsul avançam para greve

Deixe uma resposta

« »